quarta-feira, novembro 26, 2008

Udon, comida para a alma

O meu prato preferido da culinária japonesa é o udon (うどん), um macarrão grosso servido num caldo coberto com algum acompanhamento. Na primeira vez que vim para o Japão, quando tive o choque inicial com a alimentação, já que todo dia tinha que comer no refeitório da empresa onde fiz o estágio, foi o udon que agradou meu gosto e recuperou a minha tranqüilidade. Nessa época, comia udon quase todo dia.

O meu preferido é o ebiten udon (海老天うどん), onde o que vem em cima é um tempura de camarão. Outro que gosto é o niku udon (肉うどん), o mesmo udon coberto com fatias finas de carne cozida, às vezes de gado, às vezes de porco. “Preparar” um udon no Japão é fácil, já que o supermercado vende todos os ingredientes pré-prontos. Além do macarrão, que é só colocar na água fervente por 3 minutos, eles vendem os tempuras já fritos, o caldo etc. Na verdade a única coisa que se tem que fazer é colocar tudo no prato. Aqui está o meu ebiten udon:

A única diferença do meu pro udon verdadeiro é que em vez de cebolinha, eu coloco nori, a mesma alga usada no sushi. Pra quem quiser ver udons de verdade, pode olhar as fotos dessa página. Além de gostoso, o udon é muito barato, tendo cadeias de restaurantes que vendem o udon básico (sem os acompanhamentos) a partir de 100 ienes (cerca de 2 reais!).

No Japão, o lugar famoso para se comer udon é a província de Kagawa (香川県), na ilha de Shikoku (四国). Estivemos lá esse ano e obviamente provamos os udons locais. Honestamente, são bons, mas não tão diferentes dos que encontramos aqui em Tokyo. De repente não temos o gosto tão requintado para notar a diferença. O melhor udon que eu já comi foi no inverno passado, em uma estação da mesma linha que passa aqui perto de casa. De repente volto lá esse ano.

Em 2006 saiu um filme chamado UDON e rodado em Kagawa, onde o prato, considerado “comida para a alma”, é o pano de fundo pra história da relação de um pai, fazedor de udon e seu filho, que não tem planos de continuar o negócio do pai. O filme é bom e tem lances engraçados, mas o mais legal são as diversas cenas do preparo e consumo de muitos tipos de udons.

Mas o ebi udon que um dia eu quero fazer é esse. :)

2 comentários:

Gustavo disse...

Ateh que em enfim um post novo :-). Bom o comentario nao eh propriamente sobre os teus dotes culinarios mas sim para fazer um pergunta que agora tu talvez possa me responder: Porque os filmes japoneses (chineses tambem tem essa particularidade) sao tao caricatos? O que eu quero dizer eh que os atores exageram nas expressoes o que realmente me faz ter um certo preconceito contra filmes asiaticos.

Ateh hoje soh lembro de ter visto um filme onde essa caricatura nao aparece, sendo um dos meus preferidos: Infernal Affairs (mas esse eh coreano, certo?).

Aquele abraco

Roberto Jung Drebes disse...

A resposta a essa pergunta com certeza dá assunto a um novo post, mas resumindo, acho que tem a ver com o senso de humor/engraçado que se tem por aqui. O humor japonês é muito mais visual do que o ocidental, muito mais em cenas inusitadas, visuais estranhos, mais "pastelão". É perfeitamente aceitável se assistir um programa comico japonês com o som no mudo, enquanto assistir um Casseta & Planeta, por exemplo, no mudo não tem a menor graça...